Como é feito o Teste da Altura Limite do Domo?

O trabalho do Teste da Altura Limite do Domo foi principalmente desenvolvido com o intuito de simular mais efetivamente as condições das fraturas encontradas na maioria das peças que são encontradas nos trabalhos práticos reais.

O estampo utilizado no processo de execução com o Teste da Altura Limite do Domo possui uma forma hemisférica de grande diâmetro, na maioria das vezes medindo 100mm. O ensaio é executado em chapas de aço de diferentes larguras. As chapas são impressas com redes de círculos de 2,5mm de diâmetro.

(mais…)

Continue lendo
Conheça as máquinas para execução dos ensaios de estampabilidade

O processo de ensaio de estampabilidade pode vir a ser feito em prensas convencionais de pequeno porte, aplicando uma carga compressiva.

Para a execução desses ensaios em máquinas universais e com controle eletromecânico, hidráulico ou pneumático, é necessário uma leitura das forças em níveis de grandeza compatíveis com o ensaio. Nestas alternativas os dispositivos de conformação devem ser adequadamente montados e adaptados na mesa e no cabeçote.

(mais…)

Continue lendo
Como é feito o ensaio de estampabilidade de Olsen?

Apesar de destacarmos o ensaio de Olsen, devemos enfatizar que existem inúmeros ensaios para a avaliação da estampabilidade, a maioria deles não padronizada. Onde se encontram variações entre os diversos métodos nas diferenças entre formas de punções e corpos de prova.

Na maioria das vezes, aplicado e utilizado nos Estados Unidos, o ensaio de Olsen, difere do de Erichsen apenas quanto às dimensões do estampo que tem cabeça esférica com 22mm (7/8 pol) de diâmetro. O corpo de prova possui forma de disco e é fixado entre matrizes em forma de anel com 25mm (1 pol) de diâmetro interno. Durante o teste são medidas continuamente a carga e a altura do copo.

(mais…)

Continue lendo
Conheça o ensaio de estampabilidade de Erichsen e como ele é feito

Na maioria das vezes, o ensaio mais utilizado na Europa e Japão é o ensaio Erichsen, que basicamente consiste em estirar um corpo de prova em forma de disco até o surgimento de uma ruptura incipiente, onde se mede então a profundidade do copo assim formado. Esta profundidade medida representa o índice de ductilidade Erichsen (IE), medida encontrada em milímetros.

(mais…)

Continue lendo
O que é o teste de Swift chamado de teste do copo?

O teste de Swift tem como característica executar o estiramento do copo repuxado no corpo de prova com fundo hemisférico ou plano com um corpo cilíndrico. A chapa é presa por sujeitadores. A lubrificação é feita com polietileno e óleo. O estampo pode ter os diâmetros de 19, 32 e 50 mm para uso em corpos de diferentes espessuras.

imagem-1

(mais…)

Continue lendo
Aprenda sobre o conceito de estampabilidade

Quando falamos de estampabilidade de materiais metálicos estamos trabalhando com a capacidade que uma chapa metálica tem para ser conformada à forma de uma matriz, quando é submetida ao processo de estampagem, isso sem se romper ou apresentar qualquer outro tipo de defeito superficial ou defeito de forma.

A análise da estampabilidade de chapas é significativa tanto para o usuário do material em uma planta de estamparia como para o fabricante da chapa. A avaliação da estampabilidade de uma chapa metálica exige que sejam executados muitos testes, onde citamos os ensaios simulativos, tais como o ensaio de Erichsen, ensaio de Olsen e ensaio de Fukui.

(mais…)

Continue lendo
Conheça a aplicação das características de tolerâncias na mecânica

O sistema de tolerâncias e ajustes consiste em um conjunto de princípios, regras e tabelas que possibilitam a escolha racional de tolerâncias e ajustes de modo a tornar mais econômica à produção de peças mecânicas intercambiáveis.

Este sistema foi estudado inicialmente para a produção de peças mecânicas com até 500 mm de diâmetro, depois foi ampliado para peças com até 3.150 mm de diâmetro. Este sistema estabelece uma série de tolerâncias fundamentais que determinam a precisão da peça, ou seja, a qualidade de trabalho, uma exigência que varia de peça para peça, de uma máquina para outra.

(mais…)

Continue lendo
Como é feita uma aplicação básica das tolerâncias e ajustes na mecânica?

Todo processo de fabricação está sujeito a variações: variação do material, variação da máquina, temperatura, procedimentos inadequados, entre outros fatores. Em função destes fatores, não é possível produzir peças iguais (exatas), ou seja, ocorrem desvios. Para que estes desvios ocorram dentro de uma faixa conhecida, foram estabelecidas as tolerâncias.

As definições citadas abaixo estão de acordo com a norma NBR- 6158: 1995.

(mais…)

Continue lendo
Aprenda sobre a leitura e interpretação dos paquímetros em polegadas fracionárias

Assim como na leitura do sistema métrico, efetuaremos o procedimento de leitura dos paquímetros em polegada fracionária da seguinte forma:

  1. Leitura da escala principal na parte de polegada dos valores que estão à esquerda antes do zero do nônio de polegada.
  1. Verificar o traço de coincidência do nônio da polegada com a escala principal.
  1. Leitura final = Leitura da escala principal + leitura do nônio.

(mais…)

Continue lendo
X